Páginas

domingo, 27 de março de 2011

O amarelo do teu corpo é luz


Eu estou para você, assim como você está para mim. Sem constrangimentos, tudo mais fácil quando se aprende a ver e, mais do que isso, aceitar, doar-se inteiramente e integralmente. Não há estação mais propícia a um belo encontro, apenas há estações infelizes, desencontradas, nos deixam a sofrer o frio da solidão, ou até o calor do desespero.
Gritantes e eufóricos, jovens apaixonados, na mesma direção sempre, mas, por acaso do destino, caminham agora em sentidos contrários. De um lado o tédio e nostalgia se fundem, afogam. Do outro, compromissos e vozes, muitas, nenhuma faz lembrar a que se foi.

Às vésperas de mais um final de semana, calor e tarefas a fazer, ligações que não são finalizadas. Alguns dias de ausência logo se transformariam nos mais felizes, de novo, e sempre os mais, os melhores, os únicos.
Sem pressa e medo, lençóis finos formariam o ninho sagrado de um ambiente turvo, o som baixo, a música a relaxar, os corpos quentes e o suor que se mistura, que é absorvido e que faz deslizar.

Aquele olhar penetrante infiltrava todos os meus poros, um por um, até que eu não suportasse mais toda aquela energia, transbordava em mim algo sobrenatural, aquilo que irriga e mantém meu corpo são.
Não quis mais soltar.

3 comentários:

Beert disse...

Amor, quero isso em um papel heim ? te amo <3

barzinhodopoeta disse...

Garota, você tem um algo mais, muito bom seus textos. continue sempre.
beijos!

Jéss disse...

Oi, Camilla! Muito obrigada pelo elogio, seus textos também são muito bacanas. Beijo.

Postar um comentário